(011) 3845-7417 / WhatsApp (011) 9 7150-5915 inmind@inmind.com.br

Definições

O processo de comunicação começa com nossas percepções. Elas nos dizem o que é real ou não, por que são provenientes dos nossos 5 sentidos: tato, olfato, paladar, visão e audição. Eles são SISTEMAS REPRESENTACIONAIS, agrupados em 3 canais – Visual (visão), Auditivo (audição) e Cinestésico (tato, olfato e paladar).
A partir deles nossa mente monta um MAPA responsável pela nossa ideia de realidade.

Aplicações

Conhecendo e utilizando o sistema no qual o outro está se expressando, a comunicação se completa com o mínimo de ruído possível.
Isso significa que devem ser observados os gestos, o olhar, todos os movimentos (frequência e intensidade) além de, é claro, a voz.

Todos nós  temos elementos das três modalidades, mas a maioria tem um sistema que a domina. É sua tarefa identificar qual está mais em uso, a fim de poder apresentar sua mensagem de modo a “sintonizar-se” com ele. Por exemplo, se estiver com uma pessoa visualmente orientada, você deve falar referindo-se a imagens, que é a maneira como o cérebro dela funciona. Se o canal for o auditivo, é importante harmonizar o tom de voz, escolher as palavras corretas, enfim, compor frases como músicas!

Só de olhar as pessoas e escutar o que elas dizem, você pode ter ideia imediata de qual sistema representacional ela está utilizando. Isso por que o corpo dá pistas. Acompanhe algumas.

Pistas de Acesso aos Canais

Sua percepção precisa estar totalmente voltada a esta “leitura”. Sua atenção deve centrar-se não apenas nas perguntas e respostas que o seu interlocutor emite, mas e principalmente, na forma como ele faz isso.
Aprender a “ler” as pessoas pode ser um exercício interessante. Detectar o canal que está sendo utilizado, direciona a comunicação e o relacionamento com elas.

Pessoas utilizando o canal visual tendem a ver o mundo em imagens, utilizando a parte visual do cérebro para entendê-lo. Por tentarem acompanhar a velocidade das imagens em seus cérebros, as pessoas visuais tendem a falar muito depressa. Para elas as coisas são claras ou escuras, bonitas ou feias, coloridas ou não…

Pessoas utilizando o canal auditivo tendem a ser mais seletivas sobre as palavras que usam. Têm vozes mais ressonantes e suas falas são mais lentas, mais rítmicas e uniformes. Uma vez que as palavras significam tanto para elas, são cuidadosas sobre o que dizem. Comunicam-se através de “medidas sonoras” – tendem a dizer coisas como “isto soa bem para mim”, “estou ouvindo seus pensamentos…”

Pessoas utilizando o canal cinestésico reagem fundamentalmente às sensações e emoções. Em geral falam devagar e através de metáforas – as coisas são “pesadas” ou “leves”, “frias” ou “quentes”…

A comunicação em geral é intensa: eles precisam “entrar em contato” com o que é dito. Exemplo: “Eu ainda não  ‘peguei’ o que você quer dizer…”

Outra característica é a de comunicar-se reproduzindo diálogos –  Exemplo: “Aí eu disse pra ele ‘não vou ter tempo pra fazer isso’… E ele me respondeu: “Vê se acha tempo…” Aí eu pensei: “que sujeito frio…”

Observe o resumo das características

Pessoas com preferência VISUAL

  • Comunicação substancial, detalhada, não linear;
  • Relacionamento “olho no olho”, com distanciamento físico;
  • Estilo Pessoal é de extremos – gosta ou não gosta, é muito ou pouco, quer não quer…

Pessoas com preferência AUDITIVA

  • Comunicação mais lógica, racional e linear;
  • Relacionamento formal, atenção e distanciamento físico;
  • Estilo Pessoal detalhista, linear, lógico (afinal música é como matemática: requer  precisão!)

Pessoas com preferência CINESTÉSICA

  • Comunicação emotiva, participativa e subjetiva;
  • Relacionamento próximo, amigável, envolvente, atencioso;
  • Estilo Pessoal alta interação, companheirismo e sensibilidade (pede atenção).

 

IMPORTANTE

Vimos que apenas conhecendo os Canais de Comunicação que estão sendo usados, é possível esboçar um perfil inicial, bem como as ações e reações mais recorrentes deles. Só isso já nos capacita para desenhar uma estratégia de relacionamento, negociação, atendimento, administração de conflitos, etc.

É importante ressaltar que como temos os 5 sentidos e consequentemente os 3 canais, alternamos preferências – Exemplo: uma pessoa pode ser bastante auditiva no trabalho e mais cinestésica em seu círculo de amizades. O segredo é perceber o canal que está sendo usado neste momento e reagir a ele, independentemente do uso de outro canal usado anteriormente.

Na sequência algumas sugestões para a interação com cada canal:

Quem está usando canal VISUAL pede:

  • Tratativas objetivas, comunicação “direto ao ponto”;
  • Que não levem problemas, mas soluções;
  • Seja breve, rápido e mostre resultados.

Quem está usando canal AUDITIVO pede:

  • Tratativas formais, especificas e lineares;
  • Demonstração clara de que sabe do que está falando;
  • Ouvir para ser ouvido, sem pressão de tempo e aceitando críticas…

Quem está usando canal CINESTÉSICO pede:

  • Tratativas amigáveis, próximas e positivas;
  • Demonstre que se interessa e se importa com o interlocutor;
  • Ouça para ser ouvido, sem pressão de tempo e com muita compreensão.

RESUMINDO

Todo o processo de aproximação e/ou convencimento entre pessoas pode ser interrompido pela falta de sintonia da comunicação entre elas. Só essa sintonia possibilita conseguir empatia (“pensar como o outro”) para descobrir os melhores meios de interagir de forma semelhante a eles, dando a sensação deles fazerem parte da sua “tribo”…

“DICA FINAL”

A melhor forma de entrar em sintonia, se consegue através da harmonização da respiração entre os interlocutores. Ela comanda a energia, velocidade e intensidade das ações do ser humano. Vale praticar!